Viver a Figueira 12 meses por ano

Pizzaria Luzzo: Um Templo de Sabores Mediterrânicos no Bairro Novo

3 gostos

Pizzaria Luzzo Figueira da Foz interior

Prosseguindo aqui no Meet na missão de promover o melhor que se faz pela Figueira da Foz, voltamos à gastronomia. E porque hoje é Dia Mundial da Pizza, fomos visitar um dos melhores “spots” figueirenses de gastronomia italiana, casa com cerca de 120 anos de atividade como santuário restaurativo, primeiro como Casino Café Europa e posteriormente Café e Pensão Europa, que prossegue a sua missão de albergar gastronomia e convívio no coração do Bairro Novo, agora sob a “chancela” Pizzaria Luzzo, estabelecimento com vários ambientes, ideal para famílias, casais ou grupos, mas, sobretudo, para apetites refinados que compreendem a importância da qualidade.

Aqui, de resto, a culinária é transalpina mas os produtos frescos e os vinhos são portugueses, cumprindo uma fusão alimentar consumada na famosa dieta mediterrânica, que privilegia os alimentos de origem vegetal, a carne de qualidade e o consumo de produtos alimentares locais, frescos e sazonais. O lema aqui é «O melhor de Itália com um toque português». A Pizzaria Luzzo, recorde-se, é uma marca 100% portuguesa, cumpre em 2024 os dez anos de vida e já conta com 26 estabelecimentos por todo o país. A da “Praia da Claridade” abriu em junho de 2019, despertando então o velhinho Café Europa para uma nova vida ao serviço do público amante da boa mesa.

A Pizzaria Luzzo da Figueira da Foz está num espaço histórico e inspira-se no receituário tradicional italiano, mas aqui encontramos um ambiente sofisticado, inovador e com uma oferta variada de produtos saudáveis, de que destacamos – por experiência própria – as saladas e os sumos naturais ou a Tagliatelle Bolognese sem carne, prato muito procurado pelo público vegetariano.

A propósito de inovação, foi lançada este mês a nova carta para a temporada, com algumas novidades a merecer experimentação, como o Pannuzzo, reinterpretação dos Pannozi italianos, a Bella Bresaola, «que conjuga o sabor da beringela com um dos mais requintados enchidos italianos: a Bresaola», ou a nova salada Gamberetti, que promete um festim de sabores refrescantes para um verão que se adivinha quente, com alface iceberg, camarão, bacon crocante, abacaxi, beterraba, cebola roxa, vinagrete dijon e molho de pimentos.

No Bairro Novo, epicentro da atividade turística e gastronómica da cidade, a Pizzaria Luzzo marcou território pela qualidade dos produtos, da decoração e do serviço, mas também por se diferenciar da escassa oferta que existia neste segmento de restauração, sobretudo franchises de «estilo americano» e mais focados no take-away. O empresário Jorge Simões, que em boa hora ergueu a bandeira Luzzo na Figueira da Foz, apostando num novo conceito (foi a quarta a nível nacional) recorda: «aquilo que eu quis foi trazer para a Figueira uma pizzaria com a máxima qualidade que conseguisse, algo que fosse genuíno e com padrões elevados, na altura a Pizzaria Luzzo tinha já 3 casas a funcionar, em Lisboa, Porto e Guimarães, experimentei, gostei do conceito, gostei do produto, era uma oferta que de algum modo a Figueira ainda não tinha e, pronto, foi uma aposta vencedora».

Vencedora na Figueira e no país. Hoje, a cadeia portuguesa tem 26 pizzarias espalhadas pelo país e continua a evoluir, tendo alargado recentemente o conceito para o mundo das massas, além das pizzas e saladas que dominavam os menus. «Estamos a alargar o horizonte da oferta e o cliente continua a reconhecer que esta é uma pizzaria diferente das demais», salienta com orgulho.

A base culinária da Pizzaria Luzzo, como já se percebeu, é a cozinha italiana, sendo que as pizzas dominam com cerca de 80 por cento dos pedidos. E, nestas, o modelo de maior sucesso é a estaladiça pizza de estilo romano. A napolitana, mais grossa, surgiu no horizonte da Luzzo já na pandemia de Covid, sobretudo devido “à explosão” do take-away, visto ser uma pizza que conserva melhor a temperatura, ao passo que a romana, que é a estrela da casa, deve ser comida a sair do forno. Mas acima de tudo, assevera Jorge Simões, «a grande aposta é na qualidade e, modéstia à parte, penso que somos realmente a melhor pizzaria da Figueira, nesta pizza de massa fina não temos grande concorrência».

Da abundante lista de Pizzas, o empresário prefere destacar a que ostenta a marca da casa, a Pizza Luzzo, que é também a que tem mais procura, «com bacon, mas também ananás e outros ingredientes frescos que acabam por distingui-la, assim como a Margherita. O mercado brasileiro, por exemplo, gosta mais de pizzas substanciais, muito carregadas, com muitos ingredientes, mas não é esse o nosso posicionamento e se formos a qualquer boa pizzaria em Itália não é essa pizza que vamos encontrar, vamos encontrar estas pizzas finas, com ingredientes frescos e muito selecionados».

Outro toque bem português, além dos verdes da terra – todos os frescos são adquiridos em fornecedores locais e no Mercado Municipal -, é a oferta vinícola, uma pequena seleção inteiramente portuguesa que preenche as necessidades da casa e dos clientes, e complementa uma oferta generosa de sumos naturais e cocktails, alternativas que os clientes cada vez mais escolhem. «Mas temos uma boa oferta de vinhos e brancos nacionais e isso não vai desvirtuar a oferta italiana da Pizzaria Luzzo. Por ser uma marca portuguesa existe muito a preocupação de privilegiar o produto nacional, seja nos frescos, seja no vinho ou no azeite», assegura Jorge Simões. Para este verão, além do novo menu, a Luzzo figueirense apresenta uma nova esplanada, não fechada mas a oferecer maior conforto.

3 gostos

AUTOR

João P. Cruz
Consultor de comunicação territorial e patrimonial mas tudo lhe interessa. Estudou arqueologia, foi jornalista, biógrafo, ajudante de cozinha, ghostwriter, operacional do ICNF e livreiro. Integra desde 2018 equipas de classificação patrimonial (Nacional e UNESCO) e de projetos de desenvolvimento turístico, cultural e económico local. Está na luta dos territórios sustentáveis e inteligentes. Nasceu em Coimbra, vive na Figueira da Foz há 18 anos e é do mundo. É também co-fundador da MeetMunda Inovação e Turismo, empresa-mãe da marca MeetFigueira.

QUERO

×